Prefeito participa de reunião com diretores da rede municipal

Marco Antônio Lage também ressaltou que Itabira precisa atrair investimentos para conseguir a emancipação econômica do minério

Os diretores e coordenadores responsáveis pelas escolas da rede municipal participaram de uma reunião na tarde desta quarta-feira (27), na qual foram repassadas as orientações sobre o início do ano letivo 2021. O encontro na Secretaria Municipal de Educação (SME) foi conduzido pela secretária da pasta, Luziene Aparecida Lage, além das responsáveis pela Superintendência Técnico-Pedagógica Eliane Citi (Educação Infantil) e Edna Carvalho (Ensino Fundamental). Também contou com a participação do prefeito Marco Antônio Lage, que destacou a importância e a complexidade do trabalho desenvolvido pelos gestores escolares.

“A educação precisa ser olhada com prioridade. O trabalho de vocês precisa da contribuição transversal de todas as áreas da Prefeitura e é dessa maneira que será tratada em nossa estratégia de gestão para os próximos anos, sobretudo neste momento de grande desafio, do grande impacto sofrido com a pandemia”, disse o prefeito.

Marco Antônio Lage também ressaltou que Itabira precisa atrair investimentos para conseguir a emancipação econômica do minério. “O investidor olha indicadores da saúde, da educação e da qualidade de vida de maneira geral para entender onde está aplicando o dinheiro dos acionistas. Precisamos preparar nossas crianças e jovens, construir uma educação de qualidade em Itabira, fazer com que a cidade seja referência neste aspecto e atraia olhares”, pontuou.

Os professores iniciam os trabalhos de planejamento escolar na próxima segunda-feira (1º/2). As aulas começam no dia 8 de fevereiro, mantendo-se o modelo remoto que foi instituído devido à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). A SME estuda implantar, futuramente, o formato híbrido, com rodízio de alunos nas escolas durante a semana (respeitando-se o tamanho das salas de aula e os protocolos sanitários) e a continuidade do ensino a distância.

Luziene Lage explicou que ainda não há data para início deste modelo, pois depende da inclusão da cidade na Onda Verde do Programa Minas Consciente e da imunização dos profissionais que possuem ligação com a área: integrantes do Magistério, serventes, merendeiros, setor administrativo e motoristas do transporte escolar. “É um modelo novo: enquanto metade da turma estiver na escola, a outra estará em casa estudando de forma remota”, completou.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui