A partir da próxima quarta-feira (8), a Prefeitura de Itabira iniciará a campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos nas áreas urbana e rural do município. A iniciativa acontece por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) até o dia 22 de outubro. Na região rural, o trabalho será feito de casa em casa; na área urbana será disponibilizado um ponto de atendimento na sede da SMS (rua Jacutinga, 15, bairro Campestre) durante esse período, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Também será realizado o Dia D, programado para 2 de outubro, com vacinação dos animais em outros pontos da cidade.

Anúncios

Segundo a Diretoria de Controle de Zoonoses, setor responsável pela campanha, o objetivo da vacinação é manter a erradicação da doença no município. Devem ser vacinados cães e gatos com idades a partir de três meses e que estejam saudáveis. Vale ressaltar que a imunização é obrigatória.

Continue lendo após o anúncio

Para garantir a segurança e facilitar o trabalho das equipes de vacinação, cães de grande porte devem estar com focinheira e acompanhados por um adulto. Já os gatos precisam ser levados em um saco de linhagem ou em caixa de transporte. Como nos anos anteriores, não será permitido levar a vacina para casa.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Natália Franco Barbosa de Andrade, explica que esses animais devem ser vacinados anualmente. “No Brasil, e em alguns países, a raiva animal está apenas controlada. Por isso, é necessário que os animais sejam imunizados todos os anos”.

Entenda a raiva animal

Cães, gatos e morcegos são os principais transmissores da raiva, que compromete o sistema nervoso do homem quando contaminado. A zoonose é infecciosa viral incurável e afeta, especialmente, os animais mamíferos. Propaga-se principalmente em contato com a saliva, mordedura, lambida de feridas abertas, mucosas e arranhões de animais infectados. A doença tem alto grau de letalidade: mesmo quando tratada, a chance de óbito é de quase 100%.

Como proceder caso seja atacado por um animal, mesmo se for vacinado contra a raiva

– lavar imediatamente o ferimento com água e sabão;

– procurar com urgência o serviço de saúde;

– deixar o animal em observação durante dez dias para que possa identificar qualquer sinal indicativo da raiva e procurar a ajuda de um veterinário;

– continuar oferecendo água e alimentação ao animal e deixá-lo em local seguro e adequado para que não fuja ou ataque outras pessoas e animais;

– caso o animal adoeça, morra, desapareça ou mude de comportamento, é necessário procurar imediatamente os serviços de saúde;

– não interromper (jamais) a vacina antirrábica humana sem ordem médica.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui