A Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo inaugurou na quarta-feira, 29, a primeira etapa do Hospital São Gonçalo. Para garantir serviços de qualidade e contínuos do setor, inicialmente, a casa de saúde abre as portas à população com as atividades de Pronto Atendimento (PA). A construção da unidade de hospitalar teve início em 2012, no governo do ex-prefeito Raimundo Nonato Barcelos (Nozinho) e possui área construída de 4.060 m². O investimento totalizou R$ 20.616.666,03 com recursos próprios do município.

A inauguração do Hospital São Gonçalo contou com presenças de autoridades, servidores municipais, população local e visitantes de municípios vizinhos. A solenidade teve início com a apresentação dos alunos da Escola de Música de São Gonçalo do Rio Abaixo, Luiz Fernando Duarte e João Vitor Monteiro.

Em seu pronunciamento, o presidente da Associação dos Municípios do Médio Piracicaba (Amepi) e prefeito de São Domingos do Prata, Fernando Rolla, parabenizou o prefeito Antônio Carlos por ter dado continuidade aos trabalhos que foram iniciados na gestão do ex-prefeito Nozinho e por não ter abandonados projetos importantes como a construção e inauguração do Hospital, mesmo com a crise financeira que atingiu vários municípios mineradores.

O secretário municipal de Saúde, Almir Matildes dos Santos, destacou sua satisfação em iniciar os trabalhos em um local que ofertará mais conforto aos são-gonçalenses. “É certo que com essa nova estrutura, os cidadãos são-gonçalenses terão mais comodidade e, principalmente, mais qualidade no atendimento e ampliação da assistência à saúde”, destacou.

Já o Prefeito Antônio Carlos destacou que trabalha com responsabilidade com o dinheiro público.“Hoje estamos iniciando a primeira fase. A gente tem que ter o pé no chão e saber tomar conta do dinheiro que não é nosso para não fazer errado. Seria muito bom inaugurar já os dois andares hoje, entregar para o povo mas depois fechar por falta de recursos.Continuamos estudando a melhor forma de gestão para o Hospital funcionar”, destacou.

O desenlace da fita e o descerramento da placa inaugural foi feito pelo prefeito Antônio Carlos, o vice-prefeito Eduardo Fonseca, a presidente da Câmara Municipal Luciana Maria Bicalho, o secretário de Saúde Almir dos Santos, o secretário Municipal de Obras Sandro José Pena da Silva, o diretor técnico do Pronto Atendimento do Hospital São Gonçalo Mário Carlos Pinto e Souza, o presidente da Amepi Fernando Rolla e o diretor da Gerência Regional de Saúde (GRS) Alexandre de Faria Martins da Costa.

Após o momento solene, o Coral São Gonçalo se apresentou enquanto o público conhecia as instalações do Pronto Atendimento.

Os serviços na nova unidade começaram a ser ofertados à população na quinta-feira, dia 30. O Hospital São Gonçalo fica na Rua Joaquim Rosa Soares, nº 191, no bairro Vale do Sol e as linhas do transporte coletivo darão acesso ao local. O telefone é (31) 3820-1840.

Hospital São Gonçalo

A obra contempla 34 leitos de internação com setores de apoio ao diagnóstico (laboratório e imagens), centro-cirúrgico, unidade de internação, área administrativa, serviço de internação e alta, serviço de apoio técnico e logístico (almoxarifado, farmácia, serviço de nutrição e dietética, lactário, lavanderia, central de material esterilizado, vestiários e necrotério.

O Pronto Atendimento conta com leitos de observação masculino, feminino e infantil, sala de inalação, sala de medicação, consultórios clínicos, consultório de ginecologia, consultório de ortopedia, sala de urgência, triagem, serviço de laboratório e de Raio X, farmácia, capela, espaço ecumênico, espaço de treinamentos, setor administrativo e de apoio (nutrição, serviços gerais, recepção, vigilância, motoristas,manutenção).

Gestão hospitalar

Os critérios de gestão e funcionamento da unidade hospitalar foram definidos por uma Comissão Especial instituída pelo prefeito Antônio Carlos Noronha Bicalho. Os representantes da equipe destacaram que os estudos de viabilidade sobre possíveis formas de gestão da unidade hospitalar começaram em 2015. A queda da arrecadação municipal, provocada pela crise do minério; a crise de gestão no sistema de saúde em cidades da região do Médio Piracicaba; possíveis ‘gargalos’ enfrentados pela Secretaria Municipal de Saúde; dentre outros assuntos, foram alguns dos critérios observados.

A Comissão Especial enfatizou que a gestão da saúde representa uma das maiores despesas do município são-gonçalense. Em média, 20% dos gastos totais do poder público são injetados no setor. Apesar das constantes quedas de receita, a Prefeitura mantém investimentos superiores a R$30 milhões por ano na saúde.

Fotos da inauguração

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui