Uma arma de fogo foi encontrada dentro da mala entre as roupas do suspeito

Um homem de 38 anos foi preso por volta das 06h da manhã deste sábado (14) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), de João Monlevade, suspeito de tentar violentar sexualmente uma mulher 35 anos, dentro de um ônibus da empresa Viação Kaissara, que seguia de Guarapari/ES para Belo Horizonte/MG.  Durante buscas nos pertences do suspeito, os federais encontraram uma arma de fogo, sem munições.

O homem teria embarcado no veículo na cidade de Ibatiba/ES, por volta de 01h20 da madrugada, e sentou-se ao lado da vítima que já estava no ônibus.

Segundo relatos da mulher para a polícia, durante boa parte do trajeto nada de estranho ocorreu, no entanto, ao se aproximar da cidade de João Monlevade, o suspeito teria começado a passar as mãos nela, começando pela perna e depois, levantado sua blusa para passar a mão em sua cintura, momento em que ela o repreendeu. Em seguida o homem retirou seu órgão genital para fora das calças e ejaculou em sua blusa. Assustada a mulher se levantou e foi para frente do ônibus para pedir ajuda ao motorista.

O condutor do veículo permitiu que a mulher viajasse na cabine até o posto de Fiscalização da PRF, no km 353 da rodovia federal, para resguardar sua integridade física e psicológica.

Ao tomar conhecimento dos fatos, e ver a blusa da mulher suja com substância com características semelhantes e compatíveis com sêmen humano, a equipe entrou no veículo e identificou o suspeito que recebeu voz de prisão em flagrante.

Segundo a polícia, o homem negou as acusações e teria afirmado que é portador de problemas psicológicos.  A mala dele foi entregue aos policias e durante buscas foi localizada uma garrucha, que estava entre as roupas do suspeito. Questionado sobre a arma, ele alegou que seria do avô dele, e que não possuía munições para utilizá-la.

Ele recebeu voz de prisão em flagrante e foi levado, juntamente com a arma de fogo apreendida e a vítima, ainda com a blusa que ela usava no momento do crime, para a Delegacia de Polícia Civil de João Monlevade, e apresentados ao delegado de plantão, para as medidas cabíveis.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui