Nicola Sturgeon, a primeira-ministra da Escócia (foto: OLI SCARFF / AFP)

Edimburgo pode vetar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), declarou Nicola Sturgeon, a primeira-ministra da Escócia, em uma entrevista à BBC. De acordo com a primeira-ministra, isso é possível porque, apesar de 51,9% dos cidadãos britânicos terem se manifestado a favor da saída da UE no referendo do dia 23 de junho, 62% dos escoceses votaram contra a ruptura das relações. Ela declarou que vai pedir ao parlamento autônomo que não conceda “consentimento legislativo” a saída do bloco comunitário.
Sturgeon acrescentou que planeja iniciar nos próximos dias as negociações diretas com Bruxelas para defender os interesses da Escócia. No referendo do dia 23 de junho no Reino Unido, 51,9% dos eleitores se pronunciaram a favor de abandonar a União Europeia.

No entanto, tanto a Escócia (62%) como a Irlanda do Norte (55%) votaram a favor de permanecer no bloco europeu. No sábado, Sturgeon declarou que o governo da Escócia redigirá um projeto de lei para preparar um outro referendo sobre a independência.

“O Reino Unido em que a Escócia votou em 2014 não existe mais”, afirmou Nicola. O segundo referendo de independência “é muito provável”, destacou a líder. “Meu desafio é decidir a melhor maneira de proteger os interesses da Escócia, como posso evitar que nos retirem da União Europeia contra a nossa vontade”, explicou Sturgeon.

Sturgeon anunciou no sábado que vai evitar Londres e pedirá conversas diretas com Bruxelas e outros Estados membros para “proteger o espaço da Escócia” no bloco europeu, depois que os escoceses apoiaram em peso a permanência na UE, ao contrário do conjunto do país.

Fonte: uai

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui