Minas Gerais tem mais de 600 policiais militares instrutores do programa (Divulgação)

Em João Pinheiro, no Território Noroeste, a criminalidade entre jovens caiu quase 70% entre os anos de 2009 a 2015. Para o Comissário da Infância e da Juventude do município, Joaquim Osmar, a redução se deve à adoção do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), nas escolas da cidade. Instituído no Brasil em 1992, o programa chegou a Minas Gerais cinco anos depois e mais de três milhões de crianças, adolescentes e pais já foram atendidos e capacitados.

Criado em 1983 em Los Angeles, o Drug Abuse Resistance Education (D.A.R.E.) foi batizado de Proerd no Brasil. “Todos os policiais que se tornam instrutores do programa precisam passar por treinamento específico, e o Estado, por sua vez, precisa ter uma chancela da ONG Dare America, que é proprietária da marca, para utilizar e multiplicar a metodologia”, explica a coordenadora estadual do Proerd, Major Ana Paula de Lima Neves.

Em 2016, somente Minas Gerais, Santa Catarina e Rio de Janeiro – de um total de sete estados que têm Centros de Treinamento Internacionais D.A.R.E/Proerd -, receberam a chancela para continuar o trabalho.

“O programa passou por algumas mudanças metodológicas no treinamento do policial militar, e, para isso, foi preciso passar por um novo treinamento, dentro dos novos parâmetros. É uma honra que tenhamos conseguido a nova chancela. Isso é um reflexo da qualidade do Proerd em Minas Gerais e da seriedade com a qual a PMMG desenvolve este trabalho”, ressalta.

O Proerd consiste em um esforço conjunto entre a Polícia Militar, escola e família, e objetiva preparar crianças e adolescentes para fazerem escolhas seguras e responsáveis. Assim, o programa previne o uso de drogas e a criminalidade entre jovens. Hoje, Minas Gerais tem mais de 600 policiais militares instrutores do programa.

“Por meio de atividades educacionais em sala de aula, o policial militar fornece aos jovens as estratégias adequadas para tornarem-se bons cidadãos e resistir à oferta de drogas. Com ações direcionadas à comunidade escolar e aos pais, o Proerd também promove a inclusão da família no processo educacional e de prevenção”, reforça a Major Ana Paula.

 

Currículo diversificado

Por meio do Proerd, os policiais militares habilitados entram em sala de aula, e, uma vez por semana, têm um horário com duração de 50 minutos para trabalhar os currículos do programa. Eles são apropriados para cada faixa etária e representam uma ação do Estado na prevenção primária.

“As habilidades trabalhadas são desenvolvidas de forma gradual, desde o jardim de infância até o Ensino Médio, e temos também um currículo voltado para preparar os adultos a ajudar crianças e adolescentes a colocarem estes conhecimentos em prática”, ressalta a coordenadora estadual do Proerd, Major Ana Paula Neves.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui