O assédio teria ocorrido durante aula na quadra da escola
Diretor da escola teria apenas orientado a estudante a se afastar do professor

Uma menina de 13 anos que estuda numa escola pública de Nova Era acusou o professor de Educação Física dela, de 34 anos, de assédio sexual. A jovem procurou a polícia em companhia da sua mãe para registrar a queixa. O fato, segundo a menina, teria acontecido na tarde da última sexta-fera (17). Antes de procurar a polícia, a estudante reclamou com o  diretor da escola sobre os fatos. No entanto, o educador apenas orientou a menina a se afastar do professor.

No registro policial, a estudante contou que o professor a abordou perto da quadra da escola e fez a ela várias perguntas de cunho sexual. O homem também teria sugerido à jovem uma carona. Após os fatos, a menina saiu de perto do professor e foi direto à direção da escola relatar os fatos. Como não obteve apoio do diretor, ela foi ao banheiro onde começou a chorar. No local, a aluna foi amparada por outra funcionária da escola que a orientou a contar os fatos aos seus pais.

Anúncios
Continue lendo após o anúncio

A menina contou também para a polícia que o professor tinha o costume de chamá-la de linda. Um amigo da escola da jovem também foi até a polícia como testemunhas dos fatos e contou que ele chegou a questionar o professor o que ele teria feito com a sua amiga. Segundo o rapaz, o educador alegou que não sabia do que o jovem estava falando. O menino afirmou ainda que ele e outros alunos já ouviram dizer que o professor costuma mexer com outras alunas.

O professor mora em João Monlevade e, segundo a polícia, não foi encontrado. A reportagem também tentou contato com a direção da escola, mas ninguém atendeu às ligações.

O caso será investigado pela Polícia Civil de Nova Era, que orientou os estudantes a denunciarem outras situações semelhantes.

Assédio sexual é crime

O crime de assédio sexual está previsto no art. 216-A do Código Penal Brasileiro, que limita a aplicação às relações de trabalho, em que uma pessoa em situação hierarquicamente superior constrange outra para tentar obter vantagem ou favorecimento sexual.

 

Anúncios
Publicidade

3 COMENTÁRIOS

  1. Isto é uma coisa que sempre acontece nas escolas, porém, também é uma coisa que os diretores, ou pessoas com um cargo à cima dos professores, não resolvem, muitas vezes por ser um assunto delicado, um professor mais antigo, e quem sabe, até um amigo, na minha opinião, seria melhor ir direto à delegacia de ensino do que procurar o (a) diretor (a) da escola, quem sabe assim o caso não seria resolvido, claro, juntamente à policia… Infelizmente os jovens não se encontram seguros nem mesmo em ambiente escolar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui