Professores e alunos da Ufop em João Monlevade criam game para combater a dengue

Jogador tem que tocar freneticamente sobre os pernilongos; chefão é o maior

Entreter e conscientizar são os objetivos do XDengue, jogo para celulares desenvolvido por alunos e professores da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) que apresenta, de forma divertida, como combater a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zika. O XDengue venceu, no mês passado, o Festival de Jogos do I Simpósio Latino-Americano de Jogos, em Santa Catarina, e está disponível para Android. Na Google Play, o jogo tem uma avaliação de 4,9 em 5 e de 100 a 500 instalações.

“Futuramente pretendemos lançar para iOS, além de outras versões do jogo”, afirma o professor do curso de computação Tiago Lima, que coordena o Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas (Leds), onde o game foi elaborado. O Leds está vinculado ao Instituto de Ciências Exatas e Aplicadas (Icea) do campus da Ufop em João Monlevade.
Para Tiago Lima, a vantagem do XDengue é apresentar um assunto sério e importante, mas de maneira lúdica, para jovens e crianças. “Queremos conscientizar as pessoas que jovens e crianças podem ter ações produtivas no combate ao mosquito, sem ser chato”, explica o professor.

O game tem uma parte em realidade aumentada, na qual o jogador pode matar o mosquito, mas, para isso, tem que ler um QRCode. “Hoje temos um modelo do mosquito em 3D que não é fiel à anatomia do Aedes, mas nas próximas versões o modelo 3D será igual ao mosquito”, explica Lima, que tem consultoria da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na parte de epidemiologia. Além disso, o jogo tem um quizz e apresenta dicas toda vez que o jogador passa de fase.

O professor Tiago Lima, do Leds, afirma que o XDengue lançará uma atualização até o fim do ano com novas fases. “As atualizações são constantes e em 2017 teremos mais novidade”, diz. (Ludmila Pizarro – O Tempo)

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui