Projeto abre caminho para a realização de concurso público no SAAE

De acordo com diretor-presidente da autarquia, Leonardo Lopes, a intenção é publicar o edital ainda este ano

Um dos projetos de lei liberados para votação durante a reunião de comissões da Câmara de Itabira nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, mexe na estrutura administrativa do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). O PL 10/2018, de autoria do prefeito, extingue alguns cargos e cria outros dentro do quadro de servidores efetivos, abrindo espaço para a realização de concurso público.

De acordo com o diretor-presidente do SAAE, Leonardo Lopes, algumas funções existem somente no papel e outras serão desocupadas em breve por servidores que estão perto da aposentadoria. Com a extinção de vagas para médico, dentista, geógrafo, carpinteiro, entre outras, serão abertas oportunidades para advogado e contador, por exemplo. Conforme Leonardo Lopes, a ideia é realizar o concurso público ainda em 2018, antes que os servidores prestes a se aposentar deixem seus postos e os novatos percam a oportunidade de aprender com eles.

O diretor- presidente respondeu a vários questionamentos dos vereadores e explicou pontos específicos do projeto. Entre eles, a gratificação de 30% sobre os vencimentos de cinco servidores de carreira que acumulam a função de operador de caminhão. O projeto também faz justiça a 90 servidores que recebem remuneração abaixo do salário mínimo. Após os esclarecimentos, o projeto foi liberado pela comissão provisória para votação na próxima terça-feira

Cargos na escola
O outro projeto de lei discutido e liberado para votação, também de autoria do prefeito, é o 09/2018, que acaba com 35 vagas de Inspetor Escolar e cria outras 40 de Agente de Organização Escolar – todas preenchidas por meio de processo seletivo simplificado.

Segundo a justificativa, os cargos criados são mais abrangentes, mas não representam aumento de gasto para a administração pública porque têm salários menores. Se o Inspetor Escolar recebia R$ 1.124,34 por mês, o Agente de Organização Escolar receberá R$ 954,00. Ofício anexo ao projeto de lei explica, ainda, que os cargos extintos pela proposta ficaram vagos em 2017 devido ao arrocho financeiro.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui