Presidente da Rússia, Vladimir Putin sancionou o polêmico pacote de leis nesta quinta-feira (7)

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, sancionou nesta quinta-feira (7) um polêmico pacote de medidas antiterroristas, consideradas repressivas por ativistas dos direitos humanos.

O conjunto de leis prevê o aumento dos poderes do governo em relação ao monitoramento dos cidadãos russos, assim como o endurecimento de punições. Para isso, as operadoras de telefonia terão que conservar dados de seus usuários, como áudios, vídeos e fotos, por pelo menos seis meses.

Refugiado na Rússia, o ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden, que denunciou um esquema de monitoramento do governo de Washington, condenou as medidas, as quais chamou de “legislação Big Brother”, em referência ao livro homônimo, que relata o monitoramento da população por parte do governo.

“Putin assinou novas leis repressivas que violam não somente os direitos humanos, mas também o bom senso. Este é um dia ruim para a Rússia”, comentou em sua conta no Twitter.

Idealizadas por legisladores ultraconservadoras, leis entram em vigor no final deste mês
Divulgação

Idealizadas por legisladores ultraconservadoras, leis entram em vigor no final deste mês

O conjunto de medidas foi aprovado pelo Parlamento russo no final de junho, apesar de diversos pedidos de modificação do documento serem apresentados pelas empresas de telefonia e organizações de direitos humanos.

As leis, que entram em vigor no final deste mês, foram idealizadas pelos legisladores ultraconservadores Irina Yarovaya e Viktor Ozerov, também por trás de diversas outras normas polêmicas.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui