Queimadas aumentam 54% de um ano para outro em Minas

De acordo com informações publicadas pelo jornal Hoje em Dia, em 15 de julho, os focos de queimadas aumentaram 54% este ano, em Minas Gerais, no período de 1º de janeiro a 14 de julho, comparando-se com o ano passado. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectou, no período, 1.298 focos de incêndio no Estado, bem mais do que os 845 verificados em 2018.

O Inpe apenas contabiliza os focos que podem ser identificados por satélite. O Corpo de Bombeiros, no entanto, também verificou um aumento de ocorrências relativas a incêndios em vegetação. Entre janeiro e junho, foram 5.477 casos, enquanto que no mesmo período de 2018 foram 4.148.

O tempo mais seco, em 2019, tem contribuído para o aumento do número de incêndios, mas a ação humana, seja acidental ou criminosa, é apontada pelo Corpo de Bombeiros como a causa de quase a totalidade das ocorrências.

Audiência Pública

A prevenção e o combate a incêndios no Estado, em especial os que atingem áreas florestais, serão discutidos em audiência pública pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, nesta quinta-feira (5). A reunião, que se inicia às 10h, no Auditório do andar SE da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), tem como objetivo avaliar a estrutura e as condições de trabalho dos órgãos responsáveis por essas atividades. O requerimento para realização da audiência pública é de autoria do presidente da comissão, deputado Noraldino Júnior (PSC), e dos deputados Dalmo Ribeiro Silva (PSDB) e Osvaldo Lopes (PSD).

Amazônia

O debate da Comissão de Meio Ambiente ocorre num momento em que o aumento do número de queimadas na Amazônia provoca reações dentro e fora do Brasil. Em entrevista na semana passada, o presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), chamou a atenção para a gravidade da situação das queimadas também em Minas Gerais e defendeu a adoção, pelo Estado, de medidas preventivas, para evitar que o problema se repita nos próximos anos.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui