Rebelião de presos no presídio de Ipatinga deixa um morto e vários feridos

De acordo com as investigações, substâncias entorpecentes e aparelhos celulares estariam ingressando na unidade prisional com consentimento de agentes públicos

Todos os homens presos no Ceresp em Ipatinga serão transferidos, por causa dos danos causados à estrutura física do presídio na rebelião que deixou sete feridos e um morto, na madrugada desta segunda-feira (19). Apenas as mulheres deverão permanecer nas celas destinadas a elas. A informação foi confirmada pelo comando da Polícia Militar, por volta de 9h40 de hoje.

O Ceresp de Ipatinga amanheceu cercado por equipes da Polícia Militar, por causa da rebelião de presos iniciada às 2h30 desta segunda-feira. Os presos conseguiram tomar o controle do presídio e foram todos para fora das celas.

Anúncios
Continue lendo após o anúncio

Às 9h, entretanto, a informação extraoficial no local era que as forças de segurança conseguiram restabelecer o controle da unidade prisional.

Equipes da Polícia Militar foram acionadas pela segurança penitenciária, quando a situação na cadeia foi considerada fora de controle. As equipes da polícia cercaram o presídio e equipes dos Bombeiros Militares e do Samu entraram em ação. Nenhum preso conseguiu fugir.

Os presos também colocaram fogo em tudo o que era possível de se queimar no interior da cadeia. Ainda não existe um balanço oficial sobre a situação, mas fontes no local informaram ao Portal Diário do Aço que sete presos ficaram feridos com a reação das forças de segurança do presídio.

Um preso, identificado como Eduardo Henrique de Souza, de 24 anos, morreu. Como não há marcas de ferimentos pelo corpo, acredita-se que ele tenha inalado fumaça e morrido por asfixia.

Wellington Fred + reprodução

Eduardo Henrique de Souza, apareceu morto no fim da rebelião no Ceresp, em Ipatinga

Foram socorridos oito presos: Sávio Cândido de Andrade Costa; Samuel Santos; Juliano José de Souza; Jhony Rodrigues de Souza; Warley Pires da Silva; Kevim Ludmax Malta; Vagner Reis Amâncio e Patrick Diniz Lopes.

Interdição

A estrutura física do presídio foi bastante danificada na rebelião e foi confirmada a transferência dos presos do sexo masculino.

O acesso ao Ceresp permanece bloqueado a cerca de 500 metros do local. Centenas de familiares de presos foram para o local, ainda na madrugada, e passaram a manhã reclamando da falta de informações oficiais sobre feridos e o morto. Os dados foram divulgados pela PM, por volta de 9h40.

A Polícia Militar também confirmou que o controle da unidade prisional já foi retomado e que nenhum preso estava sendo maltratado.

Já em relação ao presídio de Ipaba, não há, no momento, a confirmação de qualquer movimento de rebelião e isso foi considerado boato pela polícia e agentes penitenciários.


Rebeliao de presos no Ceresp de Ipatinga começou por volta de 2h desta segunda-feira

Histórico

Há cerca de um ano o Ceresp foi interditado para receber mais presos. Construída para abrigar 182 detentos, a unidade chegou a atingir cerca de 750 presos. A superlotação levou a Justiça a proibir o envio de novos presos para aquela unidade.

Em maio de 2015 foi inaugurado um anexo do Ceresp de Ipatinga, no município de Açucena, com capacidade para abrigar 80 presos, mas sem condições de atender a demanda, presos passaram a ser encaminhados para a penitenciária Dênio Moreira de Carvalho (PDMC), em Ipaba.

Com isso, a PDMC, que deveria receber somente presos condenados e que já foi considerada modelo em Minas Gerais, também já estaria superlotada e à beira do caos.

Nota oficial da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap)

Na madrugada desta segunda-feira (19), por volta de 2h, agentes penitenciários do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional de Ipatinga, no Vale do Aço, interviram para controlar uma rebelião iniciada em um dos pavilhões da unidade.

A ação contou com o apoio do Grupamento de Intervenção Rápida (GIR) e do Comando de Operações Espaciais (COPE).

Os detentos iniciaram a rebelião quebrando aleatoriamente as celas na tentativa de efetuar uma fuga em massa. Presos de outras galerias aderiram ao movimento e começaram a quebrar as paredes.

O detento Eduardo Henrique de Souza foi encontrado morto. A perícia da Polícia Civil já foi realizada para apurar a causa da morte.

Outros oito detentos sofreram ferimentos e foram encaminhados para Unidades de Pronto Atendimento. Até o momento nenhuma fuga foi registrada.

Sem ferimentos pelo corpo,preso pode ter morrido por asfixia

 


Rebeliao de presos no Ceresp de Ipatinga começou por volta de 2h desta segunda-feira

 


Preocupados, familiares de presos aparecem a todo momento na avenida de acesso ao Ceresp


Público foi contido em uma área a cerca de 500 metros do portão principal do Ceresp

Fonte: Diário do Aço

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui