Antes da reunião no Cismepi, Dr. Laércio Ribeiro participou de uma videoconferência com o comitê provisório de combate ao coronavírus, montado por sua equipe de transição de governo
Prefeitos eleitos e futuros secretários de Saúde das cidades que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Piracicaba (Cismepi) concordaram que as decisões para enfrentar a pandemia do coronavírus terão efeito se forem tomadas em conjunto.
A questão foi discutida em reunião solicitada pelo presidente eleito do Cismepi e prefeito eleito de Monlevade, Dr. Laércio Ribeiro (PT). O encontro foi realizado na tarde desta segunda-feira (28), na sede da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Piracicaba (Amepi), em João Monlevade.
Durante a reunião, os prefeitos manifestaram a preocupação com a taxa de ocupação dos leitos para tratamento a pacientes com Covid-19 no Hospital Margarida. Dos seis municípios que integram o Cismepi, somente Catas Altas não é atendida pelo hospital.
Objetivando uma ação conjunta, outra reunião entre os integrantes do Cismepi será agendada após a posse. Já empossados, os prefeitos definirão os detalhes de um decreto a ser adotado por todos os municípios consorciados, em especial aqueles que dependem do atendimento do Hospital Margarida.
Além de Dr. Laércio Ribeiro participaram: o vice-presidente eleito do Cismepi e prefeito eleito de Rio Piracicaba, Augusto Henrique da Silva (Cidadania); o presidente eleito da Amepi e prefeito eleito de São Domingos do Prata, Fernando Rolla (Avante) e o prefeito eleito de Nova Era e vice-presidente eleito do Consórcio Público de Gestão de Resíduos Sólidos do Médio Piracicaba (CPGRS), Txai Costa (Rede).
A prefeita eleita de Bela Vista de Minas, e presidente eleita do CPGRS, Samantha Magalhães (PSDB), foi representada pela secretária de Saúde, Maria das Graças Matias. Também participou da reunião a futura secretária de Saúde de Rio Piracicaba, Eliete Maria de Araújo, o futuro assessor de Comunicação de Monlevade, Geraldo Magela Gonçalves “Dindão” e o futuro secretário de Saúde de Monlevade, Alysson Barcelos.

Saúde em colapso na região

Antes da reunião no Cismepi, Dr. Laércio Ribeiro participou de uma videoconferência com o comitê provisório de combate ao coronavírus, montado por sua equipe de transição de governo. Além de profissionais que devem integrar o futuro governo, participaram representantes de entidades da sociedade organizada.
Na videoconferência, a diretora do Hospital Margarida, Jussara Ferreira, voltou a dizer que a unidade de saúde trabalha no limite. O coordenador do Centro de Terapia Intensiva (CTI) do hospital, o médico Marcos André Crim Câmara, ressaltou que janeiro será um período muito difícil em função da pandemia.
Para o especialista o comércio tem que ser fechado, com avaliação semanal antes de reabrir. Ele reforçou que a mortalidade da doença é preocupante. “Em média, mais de 70% dos pacientes que vão para o CTI precisando de ventilação mecânica morrem. As vagas que estão surgindo no CTI são por causa dos óbitos”, declarou.
Também participaram da videoconferência representantes da Associação Comercial, Industrial e Prestação de Serviços de João Monlevade (Acimon); da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); da Associação Médica de João Monlevade; técnicos da Vigilância em Saúde (Visa) e professores da Ufop e Uemg.
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui