Theresa May apoiou Cameron na campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia
Frantzesco Kangaris/Agence France Presse/Estadão Conteúdo

Theresa May apoiou Cameron na campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia


Depois de 26 anos, o Reino Unido volta a ter uma mulher como primeira-ministra nesta quarta-feira (13). Com a renúncia de David Cameron, é a atual ministra do Interior, Theresa May, quem assume o cargo de premiê e passa a liderar o Partido Conservador.

Nos próximos meses, sua principal missão será conduzir as negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia ? conhecida como ?Brexit?, a decisão foi votada pelos britânicos em plebiscito no último dia 23. Como David Cameron, a nova primeira-ministra era favorável à permanência no bloco, mas diz que o resultado deve ser respeitado.

Reino Unido decide pela saída da União Europeia ? o que acontece agora?

“Brexit significa Brexit. A campanha foi travada, a votação foi realizada, a participação foi alta e o público deu o veredito. Não deve haver tentativa para permanecer na UE, nem tentativas de reintegrá-la pela porta dos fundos e nem um segundo plebiscito”, afirmou.

Corrida

Logo após a divulgação do resultado do plebiscito, o então primeiro-ministro David Cameron anunciou sua renúncia. Ele justificou a decisão dizendo que não era a pessoa ideal para conduzir a saída do país britânico do bloco.

Ex-prefeito de Londres, Boris Johnson era um dos favoritos para ocupar o cargo, mas preferiu não entrar na disputa ? decisão que levou analistas políticos a considerar Theresa May a candidata mais provável. A segunda na corrida era a secretária de Estado de Energia, Andrea Leadsom, que também desistiu de concorrer na última segunda-feira (11).  

Depois de declarada oficialmente a primeira-ministra britânica, Theresa May declarou estar ?honrada? em assumir o cargo, prometeu construir um Reino Unido melhor e fazer do Brexit um episódio histórico “de sucesso?.

Comparações

A última primeira-ministra britânica foi a conservadora Margaret Thatcher, que precisou lidar com questões bem semelhantes. Em 1975, Margaret Thatcher comandou o primeiro plebiscito sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia. A pergunta foi feita apenas dois anos depois da integração do país ao bloco e a resposta da população foi favorável à união do grupo.

Assim como May, Margaret Thatcher tinha opiniões duras e participou do primeiro plebiscito
Wikimedia Commons

Assim como May, Margaret Thatcher tinha opiniões duras e participou do primeiro plebiscito

Assim como Margaret Thatcher, Theresa May é conhecida por dizer duras verdades sobre o parlamento e sobre alguns parlamentares. Não demorou para que a imprensa começasse a comparar as duas primeiras-ministras, apelidando Theresa de ?a nova dama de ferro?.

+ Como a saída da União Europeia afeta os brasileiros no Reino Unido

Histórico

Theresa May nasceu em Sussex, no sul da Inglaterra, mas cresceu em Oxfordshire, no sudeste do país. Depois de frequentar escolas públicas, ela estudou Geografia na faculdade St. Hugh, em Oxford, onde conheceu o marido Philip, com quem continua casada e não tem filhos.

May ingressou na política em 1997 e assumiu a presidência do Partido Conservador em 2002. Aos 59 anos, Theresa May é uma das pessoas que ocupou por mais tempo o Ministério do Interior, cargo que assumiu em 2010.

No posto, Theresa vem sofrendo críticas por não cumprir a promessa de manter o número de imigrantes que entram no país abaixo de 100 mil por ano. Apesar de apoiar a equidade de gênero e o casamento civil igualitário, a ministra votou contra o direito de adoção por casais homossexuais, contradição que desagradou alguns setores do eleitorado.

*com informações da Agência Brasil

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui