Rio Piracicaba é obrigada a sacrificar cães por conta de leishmaniose

A cidade de Rio Piracicaba, no mês de setembro, sacrificou 15 cachorros por conta da leishmaniose visceral. Os dados integram boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde. Nesse ano, 42 animais foram eutanasiados e são esperados os exames de outros seis cães. Em 2018, foram sacrificados na cidade 52 cachorros e no ano anterior 46.

A leihmaniose visceral é uma doença grave que acomete as pessoas e alguns animais, entre eles os cachorros. O cão é considerado a principal fonte de infecção no ambiente urbano, em virtude da elevada vulnerabilidade à infecção. Assim, a presença de cães soropositivos é visto como um fator de risco e está diretamente associada à infecção humana.

A prevenção e controle da leihmaniose visceral ocorre por meio do combate ao mosquito palha transmissor da doença e de ações de higiene. Para isso, recomenda-se a limpeza periódica dos quintais, retirada da matéria orgânica em decomposição como folhas, frutos, fezes de animais e outros entulhos que favoreçam a umidade do solo, locais onde os mosquitos se desenvolvem.

É necessário fazer o destino adequado do lixo orgânico, a fim de impedir o desenvolvimento das larvas dos mosquitos. Para áreas com elevado número de casos da doença, é indicado o uso de inseticida.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui