Rodoviária pode voltar para a Prefeitura; Marfim alega prejuízo

Rodoviária de João Monlevade

O jornal Diário do Vale divulgou nessa sexta-feira (6) matéria na qual aponta a possibilidade do posto Marfim devolver a administração do Terminal Rodoviário de João Monlevade para a Prefeitura.

Consta nas informações publicadas pelo Diário que o Marfim estaria acumulando prejuízos com a manutenção do terminal na ordem de R$ 8 mil por mês e a conta pode crescer ainda mais. Isso porque a rodoviária perdeu a linha de maior volume de embarques que operava no local, da Lopes e Filhos, para Rio Piracicaba. Hoje,  o trajeto é feito pela empresa Enscon – que detém o monopólio do transporte coletivo urbano em João Monlevade e que comprou a Lopes.

O guichê da Lopes e Filhos encerrou as atividades no terminal e os ônibus passaram a não entrar mais na rodoviária, e começaram a fazer o embarque e desembarque de passageiros no ponto que existe do lado de fora, para os ônibus urbanos.

A situação teria surpreendido os próprios usuários dos serviços da Lopes e Filhos.

O gerente do posto Marfim, Alessandro Formiga, disse à reportagem do Diário do Vale que a gerência da sua empresa está em busca de uma solução para o impasse.  A Procuradoria Jurídica da Prefeitura está analisando a questão.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui