Samarco repassará R$ 12,5 mi a Mariana para investir em saúde

Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), atingido pelo rompimento de duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco (Antonio Cruz/Agência Brasil)

O Ministério Público (MP) de Minas Gerais, a mineradora Samarco e suas acionistas, Vale e BHP Billiton chegaram a um acordo sobre o valor a ser repassado para a prefeitura de Mariana, cidade mais afetada pelo rompimento de barragem de minérios em novembro de 2015.

A Fundação Renova, ligada à Samarco, terá que repassar R$ 12,5 milhões, por ano, para a prefeitura investir em saúde e assistência social.

A primeira transferência deve ocorrer ainda no primeiro semestre deste ano.

Cerca de R$ 7 milhões serão investidos em saúde e R$ 5,3 milhões na área de assistência social. Os recursos vão financiar a contratação de novos profissionais, a capacitação de equipes, a aquisição de medicamentos e material médico, além do aluguel de veículos de novos imóveis.

Mais de 60 profissionais de saúde já foram contratados.

Estudo realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que, após o rompimento da barragem, aumentaram os casos de problemas de saúde mental na população de Mariana. Entre eles, depressão, transtorno de ansiedade e dependência química.

Os pesquisadores acreditam que problemas semelhantes já podem ser identificados na população de Brumadinho, que também sofre as consequências do rompimento de uma barragem de rejeitos de minério.

Nessa segunda-feira (29), a Vale anunciou a criação de uma Diretoria Especial de Reparação e Desenvolvimento em Brumadinho. A diretoria será responsável por dar continuidade às ações de reparação de danos causados pela tragédia ocorrida em 25 de janeiro.

De acordo com a Defesa Civil de Minas Gerais, 232 pessoas morreram e outras 40 estão desaparecidas.

Fonte: EBC

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui