Secretaria providencia licença para Vale operar Mina de Brucutu

Mina de Brucutu em São Gonçalo do Rio Abaixo, Minas Gerais Créditos: Agência Vale

Notificada da decisão judicial que autorizou a Vale a retomar as atividades na Barragem de Laranjeiras, do Complexo Minerário de Brucutu, localizado em São Gonçalo do Rio Abaixo (MG), a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) informou que está providenciando a devolução, à empresa, do certificado de operação.

Concedida em abril de 2016, a autorização estadual foi cancelada no início de fevereiro, quando o Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou a desativação de Laranjeiras e de outras sete barragens da Vale (Capitão do Mato; Dique B; Taquaras; Menezes II e Forquilha I, II e III).

A paralisação das atividades nas oito barragens em que técnicos identificaram indícios de “severo risco de rompimento” foi determinada poucos dias após o rompimento da barragem de rejeitos que ficava na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho. Ocorrida em 25 de janeiro, a tragédia de Brumadinho deixou um saldo de destruição que matou 209 pessoas e deixou outras 97 desaparecidas, segundo balanço divulgado ontem (20) pela Defesa Civil estadual.

A obtenção da decisão favorável à retomada das atividades da barragem Laranjeiras e, consequentemente, da Mina de Brucutu, foi anunciada ontem, pela própria Vale. Segundo a mineradora, as operações nas outras sete estruturas embargadas pelo TJ-MG, a pedido do Ministério Público estadual, seguem interrompidas.

No primeiro momento, quando procurada pela reportagem, a secretaria estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável informou que ainda não tinha sido notificada da decisão judicial, cujo teor precisaria analisar antes de se manifestar. Horas depois, enviou nova nota informando que “considerando a decisão judicial da 1ª Vara de Justiça da Fazenda Pública […] a secretaria está providenciando a devolução, à empresa, do certificado de operação, anteriormente recolhido”.

A Mina de Brucutu é a maior da Vale em Minas Gerais. Inaugurada em 2006, foi anunciada na época como sendo a maior do mundo em capacidade inicial de produção. Em 2016, a mineradora noticiou em seu site que ela ocupava a segunda posição do país em produção, sendo superada apenas pela Mina de Carajás, localizada no estado do Pará.

Agência Brasil

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui