Servidores municipais de João Monlevade promovem assembleia para votar possível greve

Nessa terça-feira (2), os servidores públicos de João Monlevade realizam assembleia da categoria para votação de uma possível greve ou manifestação de repúdio diante ao reajuste zero proposto pela prefeita Simone Moreira (PSDB). A assembleia ocorre a partir das 17h, no salão do Sindicato dos Metalúrgicos, no bairro José Elói.

O Sintramon – sindicato da categoria – não conseguiu negociação com a administração municipal para reajuste da categoria nesse ano. Nem mesmo em audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) as partes chegaram a  um acordo.

Com isso, há possibilidade do setor jurídico sindical instaurar dissídio coletivo para garantir reajuste salarial aos funcionários da Prefeitura.

A prefeita Simone Moreira justifica que não tem verba para o reajuste dos servidores devido a atraso de repasses de recursos provenientes do governo do estado. Paralelo a isso, ela enviou para aprovação na Câmara Municipal um projeto de lei que cria 12 cargos na Guarda Municipal. Os novos postos têm custo de cerca de 300 mil por ano. Nos bastidores a matéria não tem tido boa aceitação.

Proposta de reajuste

João Monlevade é a única cidade da região que os servidores públicos não terão reajuste salarial. Simone Moreira rejeitou a proposta de aumento de 7% para os funcionários, mais vale-alimentação linear para todas as categorias, de R$ 350.

No ano passado, o discussão da data-base ganhou dezenas de capítulos e intervenções. Após quase seis meses de negociação, os funcionários tiveram 2,29% de aumento nos salários e R$ 35,00 no vale-alimentação.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui