Fabrício Lopes, Carlos e Simone Moreira

A candidata a prefeita eleita de João Monlevade, Simone Moreira (PSDB), terá que recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para ter as suas contas de campanha aprovadas.  Isso porque, mesmo com a aprovação das contas com ressalvas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), o juiz eleitoral da comarca de João Monlevade, Rodrigo Braga Ramos, desaprovou as contas.

“A prestação de contas em apreço encontra-se em desacordo com o disposto na Lei 9.504/97 e na Resolução TSE nº 23.463/2015, haja vista o recebimento de doações irregulares e de fonte vedada, omissão de receitas e despesas na prestação de contas parcial e declaração extemporânea de doação recebida, inconsistências estas graves que, em seu conjunto, maculam as contas em tela, comprometendo sua transparência e lisura”, consta na justificativa do magistrado, proferida na tarde da última terça-feira (6).

A reprovação das contas de Simone Moreira é baseada em questionamentos sobre os de Recursos Estimáveis em Dinheiro – Doador Diverso do Proprietário do Bem Fonte Vedada – Doação de Pessoa Física Permissionária de Serviço Público Fonte Vedada – Doação Indireta de Pessoa Jurídica Receitas e Gastos Eleitorais Não Declarados na Prestação de Contas Parcial Integração de Instrumentos de Controle Externo Para Aferição da Origem dos Recursos de Campanha Eleitoral e Declaração Intempestiva de Doação Recebida.

A assessoria jurídica da candidata eleita deverá entrou com recurso junto ao TRE nesta quarta-feira (7). A  diplomação dos eleitos está marcada para a próxima segunda-feira (12).

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui