A mudança será necessária em função de obras do DAE

Há alguns dias, foi instalado nos ônibus da empresa Enscon, em João Monlevade, um sistema de telemetria que monitora o percurso, velocidade e maneira de dirigir dos motoristas. A inovação tem causado atraso nos horários dos coletivos e reclamações não param.

O assunto foi levantado durante reunião da Câmara de Vereadores, na noite de ontem (2). Em sua maioria, os parlamentares alegaram que foram procurados por diversas pessoas que reclamam, principalmente, do atraso para chegar ao trabalho. Eles chegaram a sugerir uma reunião com a gerência da Enscon, responsável pelo transporte público na cidade e com o Setor de Trânsito e Transporte da Prefeitura (Settran).

Na manhã dessa quinta-feira (3), procurado para esclarecer sobre a questão, o chefe do Settran, Breno Lima, disse que esteve reunido com o gerente da Enscon, Maciel Eustáquio Gomes, e identificaram durante a semana alguns problemas sobre os atrasos dos coletivos.

Breno ressaltou que, nessa semana, a demorar ocorreu também devido ao reflexo da greve dos caminhoneiros, nos dois trevos da BR-381, em João Monlevade. “A manifestação sobrecarregou a estrada das Pacas e obviamente refletiu no bairro Santa Bárbara, atrasando os horários dos ônibus que fazem o transporte escolar (rotas) e os coletivos”, explicou.

Em relação ao novo sistema de monitoramento instalado nos ônibus, o chefe do Settran pontuou que os atrasos ocorrem devido ao processo de adequação da telemetria, que obriga ao motorista a respeitar a velocidade – que é de 40 KM/h em João Monlevade. “esse limite foi estabelecido há quarenta anos. Inclusive, estamos por determinação da prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho (PSDB), fazendo estudo de adequação e revitalização de velocidade das principais vias de João Monlevade. Muito provável, que alguns locais hoje de rápido acesso, como a reta do bairro Baú, Gentil Bicalho, Armando Fajardo, Alberto lima, trechos das avenidas Wilson Alvarenga e Getúlio Vargas e Amazonas se transformem em 50 ou 60 KM/H. Com isso, vamos adequar os horários da telemetria junto dos ônibus”, falou Brenno Lima.

Ainda segundo o chefe do Settran, a telemetria inibe “correria” dos motoristas para chegarem rapidamente ao ponto final. “O gerente da Enscon pontuou casos de motoristas que andavam em alta velocidade, com manobras bruscas, para chegar rápido ao ponto final. Com a telemetria, o sistema rastreia esses casos. Alguns deles já foram mapeados e identificados os motoristas, que foram advertidos. O Settran não está de braços cruzados. Toda mudança requer adequação e será sanado o mais breve possível. O objetivo da prefeita é um transporte humano e que atenda a população. Ninguém vai sair prejudicado”, concluiu.

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  1. Põe atraso nisso. O pior é pra quem mora em bairros onde só uma linha atende, como aqui no Vera Cruz, só a linha 104 atende. Aí seu dia vai todo embora esperando ônibus no ponto. A prefeitura e os chefes da Enscon andam de carro né? Os passageiros do transporte coletivo é que se ferram. O dinheiro da passagem está chegando até eles de qualquer maneira mesmo, com atraso ou não.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui