Pastor Carlinhos (PTB)

A situação dos mototaxistas irregulares em João Monlevade foi cobrada durante a reunião da Câmara de Vereadores na dessa quarta-feira (17). O assunto foi abordado pelo vereador Carlos Roberto Lopes (pastor Carlinhos-PMDB) que caracterizou a situação como “sofrida”.

O parlamentar alertou que chegou ao seu conhecimento que pelo menos 150 pessoas estão trabalhando como mototaxistas de forma irregular em João Monlevade. Ele também pediu que a Prefeitura coloque em prática ações que freiem a clandestinidade. “Os legalizados estão sofrendo e é preciso tomar providências”, pontuou o vereador que ressaltou ainda a necessidade de novo processo licitatório para sanar o problema.

No mês de abril, o Setor de Transporte da Prefeitura de João Monlevade (Settran) começou a recadastrar os 111 mototaxistas autorizados a exercer a atividade remunerada na cidade. O órgão passou a agir depois de receber denúncias diversas sobre a prática ilegal da profissão.

Os mototaxistas aptos a trabalhar em João Monlevade, além de cumprirem uma série de demandas do Código Brasileiro de Trânsito, só conseguem a licença para a profissão depois de se submeterem a processo licitatório.

No início do recadastramento, o chefe do Settran, Breno Lima, explicou que a ação é feita anualmente junto com a inspeção dos veículos e documentos dos mototaxistas. “Vamos aproveitar esse processo e criar, junto dos responsáveis pelos “pontos” de mototáxis, uma identificação para os motoqueiros. O objetivo é coibir o transporte clandestino e também possibilitar que a comunidade identifique o profissional legalizado”, disse.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui