Sofia Feldman restringe atendimento a grávidas do interior

Sofia Feldman recebe pacientes de 300 municípios de Minas

O hospital Sofia Feldman, em Belo Horizonte, vai restringir o atendimento às grávidas de alto risco que chegam do interior de Minas. O motivo, segundo o diretor administrativo da unidade, Ivo Lopes, é a falta de recursos financeiros.

“O dinheiro está chegando regularmente todo mês, mas ele é insuficiente. Chamo de subfinanciamento. Um parto que custa para nós R$ 1.500 mas só recebemos R$ 750. Um medicamento para o recém-nascido que custa R$ 1.000 só recebemos R$ 550. Este subfinanciamento crônico vem sendo acumulando. Os trabalhadores recebem (salário) de duas ou até de vezes”, disse Ivo Lopes em audiência pública na realizada na própria unidade, na noite da última terça-feira (21).

Segundo Ivo, Além de Belo Horizonte e Grande BH, o Sofia Feldman recebe pacientes de 300 municípios de Minas.

O vereador Cláudio da Drogaria Duarte (do PMN), que solicitou a audiência pública, ressaltou que o repasse municipal não cobre o déficit do hospital. “Não sei se esse recurso vai ser municipal, federal ou estadual. Mas é necessário que a gente discuta entre as partes e encontre uma solução para definitiva”, ressaltou.

Recentemente, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) anunciou o adiantamento de uma verba de cerca de R$ 5 milhões para o Sofia Feldman. Já o presidente Michel Temer ainda não deu uma resposta sobre um possível repasse maior de dinheiro da União para o hospital Sofia Feldman. (Com informações rádio Itatiaia).

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui