Simone foi vacinada pelas técnicas em Enfermagem Elaine dos Santos e Cleide Lélis

O aumento de casos suspeitos de febre amarela em Minas tem provocado uma  corrida maior de pacientes em busca de vacinas nos postos de saúde de João Monlevade. Apesar de o movimento crescer nos últimos dias, os atendimentos nas unidades é tranquilo. A informação é da coordenadora da Vigilância em Saúde (Visa), Lucimara Guerra.

Segundo a coordenadora, ela se reuniu com os enfermeiros da Atenção Básica, reforçando a importância da vacinação e repassando a Nota Técnica da Secretaria Estadual de Saúde, na qual amplia as regiões que deverão realizar a ação de intensificação de vacinação. Apesar de não haver casos da doença na cidade, a recomendação é de que todas as pessoas sejam vacinadas.

“A única forma de se evitar a febre amarela é a vacinação”, salientou Lucimara Guerra. A vacina contra a febre amarela é gratuita e está disponível nos postos de saúde em qualquer época do ano.

O atual esquema vacinal contra febre amarela é composto por uma dose aos 9 meses de idade e um reforço aos quatro anos. Para pessoas que nunca foram vacinadas ou não possuem comprovante de vacinação, é preciso administrar a primeira dose da vacina e um reforço após 10 anos. Pessoas que já receberam duas doses ao longo da vida já são consideradas imunizadas. A vacina é contraindicada a gestantes e a pacientes com neoplasia, imunodeficiência primária, imunossupressão e submetidos a transplante de órgãos, entre outros.

Em boletim divulgado na tarde da última quinta-feira (12/1), a Secretaria de Estado de Saúde informou que, em 2017, já foram notificados 110 casos suspeitos de febre amarela. Desse total, 20 são casos prováveis da doença, cujos pacientes apresentaram quadro clínico suspeito e exame laboratorial preliminar reagente.

Prefeita visita unidades de saúde

No último final de semana, a prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho Moreira (PSDB) visitou alguns órgãos da administração pública, inclusive o Posto de Saúde do Novo Cruzeiro. Na oportunidade, ela conversou com alguns servidores e com populares que se encontravam no local. A prefeita também disse que todos devem se vacinar, e deu o exemplo: ela foi vacinada pelas técnicas em Enfermagem Elaine dos Santos e Cleide Lélis.

Combate ao mosquito

Além da vacina, outra forma de prevenir a doença é eliminar os criadouros dos mosquitos Aedes aegypt. Entre as medidas preventivas indicadas estão: verificar se a caixa d’água está bem fechada, não acumular vasilhames no quintal, verificar se as calhas não estão entupidas, eliminar qualquer recipiente como pratos de vasos, latas e pneus contendo água limpa. Esses ambientes são ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos.

Essas dicas valem para quem vive na zona rural e também para aqueles que residem em áreas urbanas. O último caso de febre amarela urbana registrado no Brasil data de 1942. Mesmo assim, todo cuidado é pouco, já o que Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika, também é o vetor da febre amarela no meio urbano.

Transmissão e sintomas

A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra a doença é picada por um mosquito infectado. Além do ser humano, a infecção também pode acometer macacos, que podem desenvolver a febre amarela silvestre e ter quantidade suficiente de vírus para infectar mosquitos e, assim, transmitir a doença às pessoas.

A febre amarela não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. A transmissão ocorre com maior frequência na estação das chuvas, quando há um aumento das populações de mosquitos, favorecendo a circulação do vírus.

As primeiras manifestações da doença são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a doença.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui