Talude se movimenta e Defesa Civil emite novo alerta em Barão de Cocais

Mina Gongo Soco, que gerou evacuação em Barão de Cocais (foto: Leo Tavares/Divulgação

A Defesa Civil alertou para uma “movimentação” do talude na cava da mina de Gongo Soco nesta terça-feira (14). A estrutura é utilizada para dar estabilidade à barragem, e, segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador adjunto de Defesa Civil estadual, está localizada antes da barragem da Vale Sul Superior, em Barão de cocais, na região Central de Minas Gerais.

A Defesa Civil está na cidade desde essa segunda (13), quando foi avisada sobre a movimentação do talude. Representantes do órgão se reuniram com a Polícia Militar, com o Corpo de Bombeiros e com a Defesa Civil de Barão de Cocais para estudarem a situação.

De acordo com o tenente, ainda não é possível determinar se essa  movimentação, que pode acarretar em um rompimento, afetaria a barragem. Godinho esclarece que “não tem como precisar a força e quantidade de material que carrearia (seria transportada) para dentro da cava”.

Destacou também que, caso ocorra o rompimento do talude, ele será transportado para dentro cavidade. “A cava é um espaço aberto, bem grande, onde os rejeitos cairiam e se integrariam ao meio ambiente. Mas como ela está atrás da barragem é preciso ter preocupação e acompanhar”

Pessoas foram evacuadas

O tenente-coronel relembrou ainda que todos os moradores que têm residência em zonas de autossalvamento (ZAS) foram retiradas de lá. “E para as zonas secundárias foram realizados treinamentos para que as pessoas souberem das zonas seguras”, disse.

Essas pessoas foram evacuadas no dia 8 de fevereiro, após a sirene disparar por conta do risco de rompimento da barragem, que subiu de nível de classificação de risco para 2 – quando há risco de rompimento da estrutura.

Ao todo, 443 moradores deixaram seus lares e, desde então, têm ficado em hotéis, casas de parentes ou residências alugadas pela mineradora.

As sirenes voltaram a tocar no dia 22 de março, quando a barragem subiu do nível 2 para 3, classificação máxima, momento em que a barragem já está entrando em colapso.

Vale

Em contato com a reportagem, a Vale confirmou a movimentação no talude. Informou ainda que “está avaliando as possibilidades de eventuais impactos sobre a barragem Sul Superior”, localizada a cerca de 1,5 quilômetros do talude.

Destacou ainda que tanto a cava quanto a barragem são monitoradas 24 horas por dia.

A barragem

A barragem faz parte do complexo Mariana-Brucutu e está localizada a 100 km de Belo Horizonte, com acesso pela BR-381, no sentido Vitória. Tem altura de 83 metros e um reservatório com capacidade para 9.405.392 metros cúbicos.

 

Fonte: O TEMPO

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui