TCEMG esclarece sobre publicidade referente à pandemia em ano eleitoral

O novo presidente declarou que pretende fazer uma gestão compartilhada e em harmonia com todos e disse que a cordialidade é peculiar ao povo mineiro, que é um povo de conversar e de tentar resolver as dificuldades com habilidade e respeito. Foto: Arquivo/O Popular

O Tribunal de Contas encaminhou, na última semana, um ofício a todos os prefeitos municipais com orientações sobre a publicidade institucional referente ao enfrentamento à pandemia da Covid-19 em ano eleitoral. Com a proximidade do pleito municipal, existem regras e restrições específicas acerca da publicidade institucional, que são alteradas em caso de emergência pública, como a vivenciada em todo o território nacional atualmente. Desta forma, o Tribunal agiu preventivamente, com o objetivo de esclarecer aos municípios mineiros quanto às informações veiculadas nos portais eletrônicos em relação à pandemia da Covid-19.

De acordo com o Ofício nº 11/2020, assinado pelo presidente da Corte de Contas, conselheiro Mauri Torres, resguardado pela Lei 9.504/97 e pela Emenda Constitucional nº 107/20, “reforço a importância de os municípios veicularem boletins epidemiológicos e demais informações relativas às ações de enfrentamento à pandemia, de utilidade e necessidade pública aos cidadãos, e, também, aos serviços disponibilizados à população que se referirem à pandemia da Covid-19, nos termos da Emenda Constitucional nº 107/2020, no mínimo em seu portal eletrônico oficial”.

Ressaltando artigo 37 da Constituição da República, o TCEMG reitera que a divulgação deve respeitar os princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. “A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.

Anúncios

O TCEMG lembra aos prefeitos e gestores públicos que constituiu dois grupos de acompanhamento das demandas referentes à pandemia da Covid-19, e que a fiscalização da transparência está sendo realizada por meio da utilização de metodologia própria de check-list, que consiste na checagem de itens que devem constar no portal oficial de cada prefeitura. No ofício, em anexo, consta toda a metodologia aplicada.

Por fim o Tribunal enfatiza estar à disposição dos prefeitos para esclarecimentos prévios, que devem ser feitos por meio do Fale com o TCE, opção de “assunto”, “epidemia COVID-19”, no hotsite https://www.tce.mg.gov.br/covid/. Clique aqui e confira o ofício na íntegra.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui