Por volta das 09h da manhã desta quinta feira, 26, a Polícia Militar de João Monlevade registrou a segunda tentativa de homicídio na cidade, em menos de 12 horas.

Populares acionaram a PM informando que havia um homem baleado, caído próximo do Posto de Combustíveis Ale, que fica na Avenida Getúlio Vargas, no bairro Belmonte.

Quando os militares chegaram ao local a vítima, um homem de 30 anos de idade, já havia sido levada para o Hospital Margarida por terceiros. Um projétil de arma de fogo foi recolhido pela polícia na cena do crime.

Segundo testemunhas um indivíduo, de posse de um revólver, havia abordado a vítima e disparado contra ela três vezes. Em seguida entrou em um veículo GM/Classic de cor prata, onde havia outro homem, e fugiram pela Rua Maria Clementina Braga.

No hospital a vítima contou aos militares que possuí negócios relacionados à revendas de veículos com um empresário da cidade, e que havia recebido um telefonema dele para que comparecesse ao seu estabelecimento comercial afim de resolver pendências relacionadas a dividias. Quando seguia para o local determinado, deparou com dois indivíduos, que sem motivos aparentes, iniciaram uma discussão e com o passar do tempo os ânimos foram ficando acirrados.

Ainda de acordo com a vítima, temendo por sua vida deixou o local e quando deslocava para casa, foi abordado pelos mesmos homens que haviam discutido com ele. Um dos suspeitos, que estava no carro, e de posse de um revólver disparou em sua direção pelo menos três vezes. Ele foi atingido no braço direito, no rosto próximo da sobrancelha e outro disparo atingiu na cabeça, atrás da orelha.

Outra versão

Segundo a polícia, o comerciante foi procurado e contou que teria apresentado os dois envolvidos para a vítima, pois “eles tinham conhecimento que a vítima possuía um esquema de facilitação para a concessão de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), no estado do Espírito Santo” e precisavam dele para intermediar o negócio.

Ainda segundo a polícia, os suspeitos entregaram para a vítima uma quantia aproximada de R$ 12 mil com a promessa de conseguir três carteiras de habilitação, porém depois que pegou o dinheiro passou a enrolar os autores dizendo que estava correndo atrás dos documentos e que iria agendar os dias para que fossem até o Espírito Santo para tirarem os documentos.

A situação já se arrastava há cerca de um ano e os autores vinham ligando para o comerciante, pelo fato dele ter intermediado o contato entre a vítima e os suspeitos do crime. Eles pediam ajuda para resolver o problema. Foi quando ele ligou para a vítima e pediu para que comparecesse à sua agência.

Durante a discussão a vítima teria dito que “resolveria com o autor de outra maneira”, enfiando a mão em baixo do banco de seu veículo dando a entender que estava armado.  Ele entrou no veículo e saiu sentido ao posto de combustíveis e foi seguido pelos suspeitos, onde foi baleado.

Até o momento os autores não foram localizados. O comerciante foi levado para a Delegacia de Polícia Civil, para prestar esclarecimentos ao delegado de plantão.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui