Terceiro dia de paralisação dos caminhoneiros tem corrida aos postos de combustíveis

Em João Monlevade, motoristas formam filas em busca de combustível

O terceiro dia de paralisação dos caminhoneiros provocou uma corrida aos postos de combustíveis em João Monlevade nesta quarta-feira (23). Motoristas fazem filas para garantir o combustível já que há risco de desabastecimento. Próximo à cidade, os caminhoneiros fazem paralisação na altura do Km 361 da BR-381, nos dois sentidos. O protesto que começou na última segunda-feira (21) é por tempo indeterminado.

Anúncios

Por falta de combustível, ônibus coletivos também podem parar de rodar em João Monlevade. É que a empresa responsável pelo transporte, Enscon Viação, alega que o estoque de diesel garante o abastecimento da frota até o próximo sábado (26). O mesmo pode ocorrer com a produção da ArcelorMittal, que sem combustível pode interromper atividades na Mina do Andrade.

Continue lendo após o anúncio

Além de João Monlevade, há mais outros 40 trechos nas rodovias federais com manifestação dos caminhoneiros. Em todos os pontos, apenas veículos de passeio foram autorizados pelos manifestantes a seguir viagem. Segundo a categoria, os protestos são pela redução do valor do óleo diesel, após dias seguidos de aumento.

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (23) novo reajuste no preço dos combustíveis nas refinarias. O preço do litro da gasolina baixou 0,62%, passando de R$ 2,0433 para R$ 2,0306. Já o do diesel caiu 1,14%, de R$ 2,3351 para 2,3083.

Na véspera, a estatal já tinha reduzido os preços, depois de sucessivas altas que geraram protestos de caminhoneiros e discussões entre a petroleira e o governo. Os cortes foram motivados pela queda da cotação do dólar, segundo o presidente da Petrobras, Pedro Parente.

Reunião

O governo convocou para hoje (23), às 14h, uma reunião para discutir a paralisação dos caminhoneiros. Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil),Valter Casimiro Silveira (Transportes) e Carlos Marun (Secretaria de Governo) vão conversar com os presidentes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mario Rodrigues, da Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes. A reunião será na Casa Civil, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Na noite de ontem (22), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, confirmou acordo feito entre governo e Congresso Nacional para redução do preço do diesel. Guardia disse que o governo eliminará a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel e, em contrapartida, os parlamentares devem aprovar o projeto de reoneração da folha de pagamento.

A medida precisa ser aprovada pelo Congresso. O assunto é tema de uma audiência pública hoje na Comissão de Minas e Energia na Câmara. No próximo dia 30, haverá uma nova rodada de discussões durante comissão geral no Congresso.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui