Título de Eleitor: 370 monlevadenses precisam regularizar documento

O primeiro turno das eleições para prefeito e vereador acontecerá no dia 15 de novembro
Teve início ontem, dia 2 de março, o prazo para que o eleitor em situação irregular normalize seu título junto à Justiça Eleitoral. Estão nessa condição aquelas pessoas que não votaram e nem justificaram ausência nos três últimos pleitos. Em João Monlevade, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), são 370 eleitores que se enquadram nesse cenário. Em toda Minas Gerais, 175.020 eleitores, ou 1,11% do eleitorado, estão com a situação fora da normalidade. No Brasil, de acordo com o TSE, são 1.961.530 eleitores em situação irregular.
Para regularizar a situação, o eleitor deve procurar o posto de atendimento da Justiça Eleitoral, levando documento de identidade com foto, título e comprovantes de votação, de justificativa e de recolhimento de multa ou de dispensa de recolhimento. Em João Monlevade, o procedimento é feito no Cartório Eleitoral da rua do Andrade, no bairro José Elói, das 12h às 18h, de segunda  a sexta-feira. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 3852-5799.
Para consultar a situação de sua inscrição, o eleitor pode acessar o site do TRE-MG, sendo necessário o número de seu título ou seu nome e data de nascimento. Nos cartórios, está afixada, para consulta, lista dos eleitores em situação irregular, com nome e número do título eleitoral, desde o dia 22 de fevereiro. A consulta também pode ser feita pelo Disque-Eleitor (148), que também está à disposição para esclarecer outras dúvidas. A Justiça Eleitoral não fará nenhum tipo de notificação ao eleitor em situação irregular, devendo ele mesmo se inteirar da situação de sua inscrição eleitoral.
O não comparecimento para comprovação do exercício do voto, da justificativa de ausência ou do pagamento das multas correspondentes implicará o cancelamento automático do título de eleitor, a ser efetivado de 17 a 19 de maio deste ano. Quem tiver o título cancelado fica irregular perante a Justiça Eleitoral e sofre algumas limitações estabelecidas pela legislação – como obter CPF, passaporte ou tomar posse em cargo público.
Os cidadãos de municípios onde os pleitos foram anulados por decisão judicial devem ficar atentos, já que esses não são computados para definir a situação do eleitor. Os que tiverem o voto facultativo – 16 e 17 anos, maiores de 70 e analfabetos – e aqueles cuja deficiência torne impossível ou oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais não precisam se preocupar com o prazo do dia 2 de maio, já que as suas inscrições não estão sujeitas a cancelamento.
Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui