Toyota terá que explicar qualidade de peças e “camuflagem” em escapamento do Corolla Cross

Ministério da Justiça quer esclarecer se os veículos oferecidos pela montadora no Brasil possuem o mesmo padrão de qualidade dos modelos comercializados em outros países e se os consumidores recebem informações corretas sobre os carros

A montadora Toyota terá que prestar esclarecimentos sobre possível baixo padrão de qualidade das peças e suposta camuflagem do escapamento nos carros da linha Corolla Cross, modelo 2023. A notificação, realizada nesta segunda-feira (20), é uma iniciativa da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

De acordo com o ministro da Justiça, Anderson Torres, se ficar comprovado que a montadora agiu de má-fé, ela poderá sofrer sanções administrativas. “Estamos atentos para as práticas que violem a transparência na relação entre as empresas e os consumidores”, afirmou.

Segundo publicações na internet e reclamações de consumidores nas redes sociais, os veículos comercializados no Brasil teriam peças com qualidades inferiores àqueles da mesma linha oferecidos pela montadora em outros países.

Com a notificação, a Senacon busca esclarecer a motivação da suposta diferenciação entre a qualidade, a performance e a estética dos itens dos veículos comercializados no Brasil, em comparação àqueles da mesma marca e modelo comercializados em países da Europa e América do Norte. O objetivo é verificar se os consumidores brasileiros estão sendo prejudicados com a aquisição de produtos inferiores, sem que, contudo, tal diferenciação tenha impactado no preço final dos veículos oferecidos em território nacional.

Há relatos, ainda, que apontam que o modelo 2023 da linha tem saído das concessionárias com o escapamento pintado em tinta preta fosca, apenas na parte que ficaria visível, na traseira do veículo. A intenção da empresa seria fazer com que a peça não prejudicasse a harmonia visual do projeto. Ainda de acordo com consumidores que adquiriram o Corolla Cross, a tinta usada é de baixa qualidade e descasca em pouco tempo.

A Senacon visa ainda apurar se os consumidores são devidamente informados sobre a pintura parcial realizada nos escapamentos dos veículos, e sobre a qualidade da medida adotada pela montadora para tentar adequar a peça.

A Toyota tem dez dias para encaminhar os esclarecimentos à Senacon.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui