Trabalhadores recorrem à Câmara para conseguirem trabalho na ArcelorMittal

Desempregados pediram que ArcelorMittal Monlevade dê preferência para que empresas que prestam serviço para a siderúrgica contratem mão de obra local (Cíntia Araújo/Acom CMJM)

Trabalhadores da indústria e que no momento estão desempregados foram à Câmara Municipal na manhã desta segunda-feira, 12. O motivo foi pedir que o Poder Legislativo discuta junto à ArcelorMittal Monlevade a preferência para que empresas que prestam serviço para a siderúrgica contratem mão de obra local. O presidente do Legislativo, Djalma Bastos (PSD), recepcionou os trabalhadores, junto com o vereador Revetrie da Saúde (PMDB), o procurador jurídico, Silvan Pelágio Domingues e o assessor jurídico parlamentar, Alexandro Pastorini.

Segundo os trabalhadores presentes, apesar de passarem por processo seletivo, se enquadrarem nos requisitos ao cargo e ainda, terem comprovada experiência, a preferência de contratação pelas empresas terceirizadas é dada para pessoas que moram fora de João Monlevade.

Após ouvir o relato de todos, e com o embasamento jurídico dos dois advogados, Djalma esclareceu que legalmente, não é possível exigir que as empresas contratem apenas pessoal de João Monlevade ou que dê preferência aos que aqui residem. “O que farei é encaminhar ofício à diretoria da empresa, solicitando que quando possível, se dê esta preferência. Sabemos da realidade local e da dificuldade em se conseguir emprego. A Câmara fará o possível, dentro dos preceitos legais, para ajudar a população”, esclareceu Djalma.

O documento foi assinado ainda na manhã desta segunda, e já encaminhado à siderírgica. Consta na redação do ofício que “é notório que a qualificação profissional é o que é apreciado pelas empresas, mas o aproveitamento de mão de obra local, além de contribuir diretamente com o empregado, movimenta a economia e comércio da cidade”. Djalma ainda irá solicitar reunião com a gerência da usina para debater o assunto.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui