Ufop proíbe trotes. Calouros devem denunciar práticas vexatórias

O Conselho Universitário (Cuni) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) aprovou resolução que proíbe os trotes entre alunos da instituição. A justificativa para adoção da medida, é de assegurar o bem-estar dos calouros, garantindo que práticas consideradas abusivas ou vexatórias sejam proibidas na universidade. As várias denúncias de vítimas de trotes motivaram os integrantes do Cuni analisar a questão e baixar a determinação.

O documento, aprovado pelo conselho, teve como base estudos apresentados pela Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (Prace), em conjunto com o Núcleo de Direitos Humanos (NDH), para a regulamentação da prática, que é alvo de discussões na maioria das instituições de ensino superior do país. A resolução prevê, ainda, que a UFOP desenvolva, em caráter permanente, ações de conscientização e combate ao trote violento. Isso pode ocorrer por meio de campanhas educativas e incentivo a atividades permanentes de conscientização que promovam a convivência solidária, a ética e a paz.

A resolução prevê que o calouro seja informado, logo de sua chegada, que a UFOP não tolera o trote, e quais são os canais que ele pode usar para fazer denúncia, caso sofra algum tipo de abuso. O documento do Cuni também trata diretamente a questão do preconceito. (EM)

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui