A Vale admitiu que errou ao tocar as sirenes de alerta na noite de ontem (27) na cidade de Itabira, mas os moradores já estavam em pânico.

Várias pessoas passaram a ligar para o 193 do Corpo de Bombeiros, e 190 da Polícia Militar a procura de informações sobre o ocorrido e relatando que as sirenes tocaram nos bairros, Campestre, Bela Vista, Nova Vista, Praia, Gabiroba e Juca Batista, onde todos os moradores foram para as ruas.

Diante disto os Militares do Corpo de Bombeiros foram para a rua e nos locais denominados de Ponto de encontro para acalmar a população, dizendo que tudo não passou de um erro, provocado pelo sistema da Vale.

Segundo a mineradora, o que houve foi um desacerto técnico. Portanto, não há situação de emergência nessa localidade e nem necessidade de que as comunidades da região sejam evacuadas. Assim que a situação foi identificada, a correção foi imediatamente feita pela área técnica.

A Vale reitera que não houve alteração no nível de segurança das barragens de Itabira e que os moradores da cidade podem manter a tranqüilidade.

Vale emite Nota de alerta

A mineradora Vale admitiu na noite desta quarta-feira (27) o risco iminente de rompimento de mais três barragens em Minas Gerais. De acordo com nota da empresa, após nova vistoria, foi elevado de 2 para 3 o nível das barragens B3/B4, da mina Mar Azul, no distrito de São Sebastião das Águas Claras, também conhecido como Macacos; além das barragens Forquilha I e III, na mina Fábrica, em Ouro Preto.

Isso significa, na prática, que as barragens estão em alerta máximo para risco de rompimento, que pode acontecer a qualquer momento. Como medida protocolar, a sirene foi acionada no distrito de Macacos por volta de 22h30 desta quarta.

Sobre Ouro Preto, a Defesa Civil não confirmou se houve o acionamento de sirenes.

Segundo a assessoria de imprensa da Defesa Civil de Minas Gerais, uma reunião está sendo realizada para tratar do assunto e detalhes serão informados em coletiva de imprensa que acontece na capital ainda nesta noite.

A Vale, porém, confirmou em nota esse aumento do risco de rompimento das barragens. Segundo a empresa, como medida de segurança, as sirenes nas zonas de autossalvamento dessas estruturas serão acionadas “seguindo o protocolo para início do nível 3 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM)”.

A empresa lembra, porém, que os moradores destas zonas nas três barragens já haviam sido evacuados das áreas e que “nesse momento não há necessidade de novas evacuações. A população deve manter a rotina normal, permanecendo atenta aos chamados de emergência”, diz a nota.

Ainda de acordo com a Vale, a medida de elevação de risco para as barragens foi tomada após auditores independentes informarem à empresa que não emitiriam as Declarações de Condição de Estabilidade desta barragem.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui