Vendedores ambulantes voltam para o centro de João Monlevade

Não demorou 30 dias para que os vendedores ambulantes voltassem a ocupar o centro comercial de João Monlevade, depois de serem retirados da rua por fiscais do setor de Posturas e policiais militares.

Ontem, por volta das 15h, na avenida Getúlio Vargas, os ambulantes ocupavam vagas de estacionamento rotativo e vendiam meias, acessórios para celular, frutas, verduras e legumes. Porta-malas de veículos e bancas feitas com caixotes e sombrinhas plásticas são as vitrines para exposição dos produtos. Tudo sem fiscalização alguma.

Lembrando que no dia 21 de agosto, fiscais de posturas e policiais militares, retiraram todos os camelôs da avenida Getúlio Vargas. Na época, a Prefeitura informou que a ação seria uma determinação do Ministério Público e que periodicamente os fiscais, em conjunto com a Polícia Militar, fazem esse trabalho. “Não existe motivo específico, isso faz parte da rotina do setor de Fiscalização e Posturas da Prefeitura”, alegou a adinistração.

Lei que não funciona

Em João Monlevade, existe legislação municipal que regulamenta as atividades dos vendedores ambulantes. No entanto, a Lei não foi implementada pela administração, apesar de ser de autoria da prefeita Simone Moreira (PTB). A proposta surgiu de sugestão apresentada à época pelo vereador Geraldo Antônio Marcelino (Tonhão-Cidadania), diante de recomendação feita pelo Ministério Público à prefeitura para que impedisse o funcionamento do comércio de ambulantes nas ruas da cidade, ou que regulamentasse a situação da categoria.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui