Vereadores criticam audiência pública sobre a duplicação da BR-381

Para parlamentares, é preciso discutir as ações para o trecho que envolve João Monlevade e parar de blá, blá, blá

O presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD), e os vereadores Sinval Dias (PSDB), Belmar Diniz (PT), Gentil Bicalho (PT) e Fábio da Prohetel (PP) participaram nesta semana, de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O assunto foi a duplicação da BR-381. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), não encaminhou representante, o que foi criticado pelos presentes.

O encontro foi repercutido durante reunião ordinária da Câmara, na tarde da última quarta-feira (27). O parlamentar Fábio da Prohetel foi taxativo em criticar a audiência e disse que considerou a reunião uma perda de tempo. Ele pontuou que ficou decepcionado. “A audiência trouxe pouco esclarecimento e serviu como palanque político. Fomos lá para ouvirmos coisas novas e não teve novidade nenhuma. Vamos arregaçar as mangas senão João Monlevade vai ficar para trás. Precisamos sensibilizar essa Casa e o povo de Monlevade, que é o mais atingido com a questão [duplicação da 381]. Para mim audiência foi só blá, blá, blá. ”, declarou.

Opiniões semelhantes tiveram o presidente da Câmara, Djalma Bastos, que disse que apesar de ter sido válida, as discussões sobre a duplicação ficaram centralizadas no Vale do Aço e Sinval Dias, que foi enfático em afirmar a demora das obras e o Governo Federal. Discurso semelhante foi feito por Belmar, que pontuou ser preciso mais agilidade por parte do Governo Federal para o término da obra. Já Gentil Bicalho preferiu ser otimista. “É preciso trabalhar muito, mas prefiro ser otimista de que a duplicação vai acontecer sim”, disse.

Corte nos recursos

Conforme informado durante a audiência, há possibilidade de corte dos recursos para a duplicação da BR-381, situação que alarma os vereadores monlevadenses e deputados. Seis lotes seriam trabalhados pela empresa Isolux Cosán, mas os contratos foram rescindidos pelo Dnit pela não execução dos serviços.

O gerente da Empresa Construtora Brasil, Jorge Luiz Pereira Cançado, responsável pela duplicação dos lotes de entroncamento da MG-320 para Jaraguaçu, Antônio Dias até Ribeirão Prainha, em Nova Era, de 30 quilômetros; e Barão de Cocais a Caeté, om 37 quilômetros, explicou que é interesse da empresa concluir rapidamente as obras, mas depende da questão orçamentária. “Dependemos apenas de recursos. Temos trazido as melhores tecnologias”, falou.

Deputados opinam sobre a questão

Os deputados Nozinho Barcelos e Tito Torres fizeram uso da palavra durante a audiência. O primeiro destacou a importância da união para demonstrar força política em Brasília. “Trechos como o de Belo Horizonte a Caeté estão completamente parados. Precisamos mobilizar Brasília porque a disputa se dá com muitos outros projetos”, reforçou. Já Tito informou que é natural de Monlevade, localizada em um dos trechos mais perigosos da estrada. “Queremos ter informações sobre novos lotes a serem duplicados”, disse.

Julho 2017

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here