Vereadores de Rio Piracicaba visitam DER e recebem esclarecimentos sobre a Enscon

Vereadores da Câmara de Rio Piracicaba cobram providências ao DER envolvendo o transporte até João Monlevade

Uma comissão de vereadores de Rio Piracicaba visitou a 40ª Unidade Regional do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (DER), lotada no município de Coronel Fabriciano, nessa segunda-feira (1º). A ação tem o objetivo de cobrar possíveis irregularidades envolvendo o transporte intermunicipal entre Rio Piracicaba e João Monlevade que é realizado pela empresa Enscon Viação / Lopes e Filhos.

Além do presidente da Câmara, vereador Reginaldo Wanderson Catarino Azevedo – Nozinho do Caxambu (Cidadania), participaram da visita os parlamentares Juliano Mafra Gonçalves (PSDB), Antônio de Pádua Guedes (PDT), Dirlene Aparecida Tomaz (PP) e o assessor especial do Legislativo, o advogado Frederico Camilo. A comissão foi recepcionada pelo Chefe de Núcleo Administrativo, João Amâncio; pelo Chefe de Núcleo Técnico, Thiago Machado; e pelas fiscais de transporte, Jéssica Breguez e Célia Dantas.

A insatisfação dos usuários envolvendo o transporte intermunicipal foi alvo de debates em reuniões ordinárias no Legislativo. Superlotação, veículos sucateados, ausência de cinto de segurança, escassez de horários e valor elevado da tarifa são alguns dos problemas relatados por moradores de Rio Piracicaba que utilizam o transporte.

Anúncios

Notificação

Sobre as dificuldades elencadas, representantes do DER informaram ter realizado uma fiscalização in loco, na quinta-feira, dia 28 de julho, no município de Rio Piracicaba. Na ocasião, foram constatadas algumas irregularidades envolvendo a Enscon, tais como, ausência de lacre nas roletas e atrasos no embarque dos coletivos, em consequência da falta do auxiliar de viagem para efetuar a cobrança da tarifa.  As falhas apontadas pela equipe de fiscalização do DER geraram notificações à concessionária.

Sobre a superlotação e a falta do cinto de segurança em alguns veículos, o DER informou que considerando o percurso e o caráter comercial da linha, a legislação permite um limite de até ¼ da capacidade de lotação do veículo usando o transporte sem fazer uso dos acentos.

Questões relacionadas ao valor da tarifa e a possibilidade de retorno do auxiliar de viagem nos coletivos, o DER informou ser te competência da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) fiscalizar a situação. Por esta razão, os vereadores planejam encaminhar ofício a essa secretaria solicitando esclarecimentos e providências.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui