Clima tenso, ânimos alterados e interferência em briga e por pouco não virou caso de polícia. Este foi o desfecho da reunião da Câmara de Vereadores de João Monlevade na última quarta-feira, dia 8. O tucano Sinval Dias e o petista Gentil Bicalho por pouco não saíram no tapa. A briga foi apartada pelos demais vereadores.

Sinval Dias (PSDB)

A confusão foi formada após votação de projeto que previa o fim de pagamento de gratificações a funcionários públicos que ocupam cargos comissionados. A matéria, de autoria de Gentil Bicalho, foi derrubada. Sinval Dias justificou o voto contrário e provocou o petista o chamando de “covarde”, em alusão ao fato de que os benefícios aos cargos de confiança foram pagos por administrações passadas em que o PT fez parte da base governista. “O PT é covardes, vocês são covardes”, disse Sinval.

Gentil Bicalho (PT)

A provocação fez com que Gentil Bicalho se levantasse rapidamente e se defendesse. Aos gritos, o petista disse que não iria tolerar os comentários, taxados por ele como de cunho pessoal. O vereador pediu providências da Mesa Diretora. Antes que algo fosse feito, Sinval continuou a disparar críticas. Gentil se dirigiu à tribuna (onde o colega estava) e foi contido por outros vereadores.

O presidente da Casa, Djalma Bastos, suspendeu a reunião para que os ânimos fossem acalmados. Na volta aos trabalhos, Gentil se desculpou e alegou que o tucano Sinval constantemente faz ataques pessoais à vida pessoal dos colegas. O petista também criticou a ação da Mesa Diretora citando que o Regimento Interno da Casa não é cumprido, já que na legislação é defendida que os vereadores não devem fazer discursos com ataques a vida pessoal dos colegas ou de outras pessoas.  Ele lamentou o fato de Sinval não ser repreendido e afirmou que não vai tolerar esse tipo de comportamento do parlamentar.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui