Com a unidade fechada, os atendimentos médicos foram suspensos e muitos pacientes reclamaram

A Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de João Monlevade vai fazer uma sindicância no posto do bairro Novo Cruzeiro depois de vários episódios de violência contra funcionários serem denunciados nos últimos dias. Nesta sexta-feira (17), parlamentares devem ouvir os servidores públicos e também os usuários da unidade de saúde para apurarem os fatos.

Casos de violências no local têm registros constantes, conforme os funcionários e, na semana passada, uma usuária quebrou o posto revoltada pela falta de atendimento médico. Ele teria destruído uma janela de vidro e a Polícia Militar foi chamada ao local para contê-la. O filho dela, ao saber da confusão, foi ao posto e ameaçou depredar o lugar e matar funcionários.

Com medo, os servidores fecharam o posto e foram até a Prefeitura para conversar com a prefeita Simone Moreira (PSDB). Eles não foram recebidos. Com a unidade fechada, os atendimentos médicos foram suspensos e muitos pacientes reclamaram.

O assunto dominou a pauta do Legislativo na tarde/noite de ontem (15) e tanto vereadores da base governista quanto os da oposição ao governo, além de denunciarem o descaso com o posto de saúde, lamentaram o fato dos servidores terem sido ignorados pela prefeita.

O vereador Antônio de Paula Magalhães (Toninho Eletricista-PHS) foi além e denunciou que o caso da unidade do Novo Cruzeiro “é mais sério do que pensam”. Segundo ele, recebeu denúncias de que usuários estariam entrando armados no posto e exigindo atendimento médico, o que tem deixado os funcionários ainda mais temerosos. “Depois que matarem alguém lá, vamos fazer o que?”, questionou o parlamentar que completou: “João Monlevade está a Deus dará, sem comando. Vamos pedir ajuda da PM para intensificar o policiamento na região do posto”.

Revetrie Teixeira, vereador do MDB, defensor da área da saúde, defendeu o fechamento do posto pelos funcionários. “Lá não tem segurança e eles estão desamparados”, pontuou. Ele lamentou as ameaças de morte recebidas pelos servidores e enfatizou que ações enérgicas precisam ser tomadas rapidamente.  Ele e Toninho integram a Comissão de Saúde da Câmara, junto do petista Belmar Diniz, que também se posicionou sobre a questão, endossando o discurso dos colegas.

Da base governista, Guilherme Nasser (PSDB) teceu duras críticas à onda de violência na unidade de saúde e criticou o anúncio da administração municipal em abrir um posto 24h na região do Novo Cruzeiro. “A região merece e isso seria o ideal, mas primeiro precisamos que tudo o que temos funcione direito”, ressaltou. Para exemplificar a sua afirmação o tucano citou a falta de médicos especializados na rede pública e de materiais para atendimento odontológico. Nasser pontuou ainda que para se abrir um posto 24h é necessário grande investimento financeiro. No entanto, a administração municipal tem alegado falta de recursos. “Corremos o risco de termos mais um elefante branco na cidade”, disse.

Caso de polícia

O subcomandante da Polícia Militar de João Monlevade, capitão Felipe Gaigher, disse ao site O Popular que a corporação está ciente dos acontecimentos no posto do Novo Cruzeiro e tem feito policiamento mais focado na região. “A PM está ciente. Já fizemos contato no local, o possível autor da ameaça foi identificado e qualificado pela polícia. Desde o último sábado [11], quando foi feito contato com o autor, a PM já se colocou a disposição e tem feito policiamento mais focado na região, tendo os trabalhos do posto se desenvolvendo naturalmente. O comandante do policiamento no setor também está acompanhando de perto. A princípio, sem maiores repercussões”, informou o policial.

Posição da Prefeitura

Em nota a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de João Monlevade informou que “sobre a situação ocorrida no Posto de Saúde do Novo Cruzeiro, a Administração Municipal pediu maior atenção e mais empenho dos vigias no local, bem como acionou a Polícia Militar no sentido de que a presença dos militares possa ser mais frequente e ostensiva nas proximidades do Posto de Saúde do local, objetivando maior segurança a todos”.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui