Não foram encontradas irregularidades em vistoria no açougue do comércio

Na noite desta quinta-feira (17), uma equipe da Vigilância Sanitária vistoriou um hipermercado em Itabira, após uma denúncia feita por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas.

De acordo com o consumidor, a conservação das carnes no estabelecimento estaria em condições inadequadas, contando inclusive com a presença de mosca. De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade, não foram encontradas irregularidades.

Durante a vistoria foram observados a sala de manipulação, o balcão frigorífico, a sala de desossa e a câmara frigorífica.

“O objeto da denúncia não foi constatado. Ao contrário, a aparência das carnes estavam com características organolépticas inalteradas. Todos os produtos são procedentes de frigoríficos que possuem registro no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). A refrigeração dos produtos atende às normas da higiene sanitária, a câmara fria é toda fechada com paletes de polietileno, e a área de desossa está toda organizada”, explicou o fiscal sanitário Ronaldo Antônio.

Ainda de acordo com Thereza Andrade, mesmo não encontrando irregularidades, foi sugerido ao estabelecimento a inclusão de uma porta com tela para evitar a entrada de insetos no local. Além disso, pequenas ressalvas foram feitas e serão acompanhadas em uma outra visita de vistoria que a equipe fará nesta sexta-feira (18) para a liberação do alvará sanitário.

“Dentro do papel da vigilância sanitária, que é promover e proteger a saúde da população, viemos realizando um trabalho de inspeção nos produtos de origem de animal, com equipes do SIM (Serviço de Inspeção Municipal), para dar mais segurança e qualidade nos produtos adquiridos pela população, a exemplo da carne e queijo, com demanda grande em todo o país. A venda de queijos tem se intensificado, e, no Município, conseguimos reduzir em torno de 90% a venda dos queijos clandestinos que chegavam à cidade. Hoje, o número é bastante reduzido. Nosso foco é zerar o número de estabelecimentos com produtos de origem duvidosas, caso de queijos e carnes clandestinas. Um papel de relevância da Vigilância Sanitária é promover e proteger a saúde da população”, esclareceu Ronaldo Antônio.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui