Mais de 70% dos pequenos negócios mineiros usam as redes sociais, aplicativos ou a internet  para vender seus produtos e serviços. O Whatsapp, aplicativo de serviço para troca de mensagens, foi o canal mais utilizado pelos mineiros, no final do ano passado, para as vendas on-line. É o que mostra a 13ª edição da pesquisa ‘Impactos do coronavírus nos pequenos negócios’, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre os dias 25 de novembro a 1º de dezembro de 2021. A pesquisa ouviu 553 donos de micro e pequenas empresas (MPE) e microempreendedores individuais (MEI) em todo o estado.

De acordo com o estudo, 88% dos mineiros afirmaram fazer uso do  WhatsApp em suas vendas. Já o Instagram é utilizado por metade (54%) dos entrevistados, seguido pelo Facebook, com 36% de acesso para a finalidade de comercialização. “Apenas 10% dos donos de  pequenos negócios têm site próprio. Isso pode ser justificado pelo preço maior do investimento com a criação da plataforma, a necessidade de equipe maior e mais treinada, e ainda, a complexidade da logística, que requer mais atenção e esforço”, justifica o analista do Sebrae Minas Júnio Enes.

Em relação às ferramentas digitais mais utilizadas pelas empresas mineiras estão: oWhatsApp for Business – a versão comercial do mensageiro (usado por 63% dos entrevistados) – e o ‘Google Meu Negócio’- 37% dos entrevistados tinham o perfil da empresa cadastrado na ferramenta do Google que disponibiliza informações sobrelocalização, horário de funcionamento, produtos, serviços, fotos e promoções do negócio.

A pandemia intensificou ainda mais a relação comercial dos pequenos negócios mineiros com as redes sociais. Segundo o levantamento, 35% dos entrevistados investiram em propagandas pagas no Google, Instagram ou Facebook. “Os anúncios nas redes sociais, se feitos de maneira assertiva e estratégica, podem potenciar as vendas e a comunicação nessas plataformas, gerando bons resultados para as empresas. Mas vale lembrar que mais que vender, também é importante se relacionar e interagir com o cliente, garantindo uma conexão próxima e duradoura. É o que chamamos de marketing de relacionamento”, afirma Enes.

A pesquisa também mostrou que apenas 31% das empresas mineiras tinham um sistema de gestão integrada (software ou aplicativo), conhecido como ERP (Enterprise Resource Planning) – ferramenta que orienta o dono do negócio a melhorar processos internos e integrar setores, como vendas, finanças, estoque e recursos humanos. 

As ferramentas menos usadas pelos mineiros foram: Gestão de Relacionamento com o Cliente – CRM ou Customer Relationship Management (16%) e a automação de processos (12%). “Os dados confirmam que ainda há um caminho longo a ser percorrido pelos pequenos negócios mineiros, principalmente, quando se diz respeito a novas tecnologias e a integração de dados, tão importantes para a estratégia e a inovação das empresas”, explica o analista do Sebrae Minas.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui