“Zero não concordamos”, afirma presidente do Sintramon

Representando os funcionários públicos da Prefeitura e autarquias de João Monlevade, a presidente do Sintramon (sindicato da categoria), Isaura Tereza Bicalho, abriu a reunião da Câmara de Vereadores, nesta quarta-feira (27), expondo as negociações sobre a data-base do funcionalismo. Ela usou a Tribuna Popular da Casa para falar sobre a questão.

Isaura Tereza Bicalho

Isaura ponderou que a Prefeitura apresentou 0% de reajuste nos salários da categoria. Índice este que o Sintramon classifica como uma afronta. “Tem que sentar, abrir a mesa de negociação e discutir números. Zero não é proposta. É negativo. Vamos deixar de comprar um gás, uma fruta para nossos filhos, vamos ficar inadimplentes. Estou aqui para demonstrar que zero não vamos aceitar. Vamos para luta. Vamos nos mobilizar. Pedimos que vocês [os vereadores] façam uma intervenção junto à prefeitura. No ano passado foi uma luta conseguirmos um reajuste no vale-alimentação”, pontuou Isaura.
Vários servidores públicos fizeram uma manifestação silenciosa no plenário da Câmara com uso de cartazes que os dizeres “zero não”.

O Sintramon propôs à administração municipal de João Monlevade reajuste salarial de 7% para os funcionários, mais vale-alimentação linear para todas as categorias, de R$ 350. O índice apresentado tem como justificativa a recuperação da perda inflacionária do último ano e garantia de aumento real aos servidores. Para o cálculo é levado em conta a inflação de março de 2018 a março de 2019, mês da data base dos funcionários da Prefeitura.
No ano passado, o reajuste dos servidores só foi aprovado no mês de julho. O índice de aumento foi de 2,29% nos salários e R$ 35,00 no vale-alimentação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui